Comunicação

Aprendendo a melhorar a gestão de pessoas com um filme

Como treinar seu Dragão é um filme feito para crianças, mas aquele tipo de filme que os pais adoram assistir junto com seus filhos. E se assistirmos o filme com um olhar mais crítico e imaginarmos as nossas empresas, as semelhanças com o modelo corporativo e grande partes dos problemas que encontramos hoje é gritante. E o filme nos dá grandes exemplos do que fazer para melhorar a gestão de pessoas dentro de uma empresa.

Bom, para quem não assistiu o filme, resumidamente a história se passa em uma aldeia de Vikings que é constantemente atacada por dragões, e os Vikings vivem basicamente para se proteger destes ataques e para matar os tão temíveis inimigos.

O personagem principal, que se chama Soluço, é filho do chefe da aldeia, porém é um menino franzino e que não leva muito jeito para as batalhas. No decorrer do filme, ele consegue acertar sem querer um dragão, e descobre que eles não são assim tão temíveis. E dessa forma, passa todo o filme tentando convencer seu pai e toda a aldeia a quebrar um antigo paradigma e mudar completamente a forma como as pessoas se relacionam com seus mais antigos inimigos.

Ok, e o que isso tem a ver com nossas empresas, e como isso pode nos ajudar a melhorar a gestão de pessoas? Bom, vamos fazer aqui uma analogia imaginando que a aldeia dos Vikings são nossas empresas. Quantos dragões atualmente nós matamos por dia? Quantos problemas precisamos enfrentar diariamente, e nunca tentamos fazer algo diferente para mudar?

No filme, os Vikings eram valentões, mas o que sempre os fez continuar na mesma batalha com os dragões durante séculos talvez fosse o medo da mudança, ou o medo do fracasso. Os personagens mais valorizados eram aqueles que se enquadrassem exatamente nos moldes já pré estabelecidos pela aldeia, que tivessem a mesma mentalidade de continuar executando as coisas sempre da mesma forma. Ou seja, como seria possível melhorar a gestão de pessoas, sendo todas as pessoas iguais?

Quando um personagem completamente fora dos padrões tem coragem para fugir da rotina, é comum que a primeira reação das pessoas, em especial aquelas mais resistentes a mudança, seja de pânico, preocupação, desespero. Afinal, a grande maioria das pessoas tem dificuldades em sair da sua zona de conforto. E isso acontece muitas vezes com grande parte dos líderes, que por medo ou receio tem dificuldades em quebrar paradigmas e buscar novas soluções para suas empresas.

O filme nos ensina a melhorar a gestão de pessoas de várias formas, vamos elencar algumas;

1 Ter times multidisciplinares

No filme, uma única pessoa completamente fora dos padrões da aldeia fez toda a diferença para o futuro desta vila. Talvez não precisamos ser tão radicais em nossas empresas, mas em qualquer equipe, ter competências multidisciplinares é fundamental. Vamos imaginar uma pequena empresa de software, o que seria se essa empresa tivesse somente desenvolvedores na equipe? Mesmo que um desses desenvolvedores fosse executar atividades de marketing ou vendas, dificilmente teria a mesma qualidade de um especialista na área. Então, principalmente nas pequenas empresas, ter uma equipe multidisciplinar com especialistas naquelas atividades chave para o negócio é essencial para o crescimento da empresa, e sem dúvida é o tipo de estratégia que ajuda a melhorar a gestão de pessoas.

2 Escutar as pessoas

Colaboradores como o personagem Soluço tem dificuldades em serem ouvidos. É comum líderes terem um pensamento fechado sobre algumas atividades da empresa, e principalmente tem uma resistência a mudança ou até mesmo orgulho de mudar algo que muitas vezes eles criaram.

Nós acreditamos que quanto mais cabeças pensantes com o mesmo objetivo, melhor para se alcançar bons resultados. Portanto, crie uma forma onde todos possam expor suas ideias sem medo, e crie uma rotina para discutir estas ideias, dando oportunidade para todos defende-las ou critica-las. Este tipo de participação é uma combustível para melhorar a gestão de pessoas, mantendo toda a equipe motivada.

3 Manter um ambiente colaborativo

Nada pior do que trabalhar em um ambiente hostil, onde se deve apenas executar e não temos nem a chance de expor ideias ou opiniões. Para melhorar a gestão de pessoas, crie um ambiente onde todos possam colaborar, opinar, e participar de algumas decisões.

Um ambiente colaborativo pode ser um espaço na empresa, onde as pessoas possam conversar rapidamente no café, pode ser um espaço mais formal, em reuniões específicas para discussão de ideias e planejamento. Ou até mesmo uma ferramenta que ajuda as pessoas a se comunicarem melhor, podendo trocar ideias, compartilhar tarefas e manter uma comunicação centralizada e organizada.

4 Não ter medo de mudanças (e do fracasso)

Ao melhorar a gestão de pessoas com as dicas anteriores, abrimos um mar de possibilidades em nossas empresas. Diversas ideias podem surgir, paradigmas antigos podem ser quebrados, e o que precisamos agora, é ter coragem e competência para colocar tudo isto em prática, e para isto, precisaremos correr alguns riscos.

Correr riscos talvez seja uma das virtudes mais comuns entre os líderes de sucesso. Principalmente na era em que vivemos, onde a internet cada vez abre mais possibilidades, precisamos estar prontos para mudanças, e principalmente, precisamos estar preparados para aceitar que nem todas as mudanças possam dar certo, mas por outro lado, aquelas que funcionarem podem ser fantásticas para nossa vida pessoal e para nossos negócios.

Portanto, ouça todos na sua empresa, colabore, compartilhe e tenha coragem para mudanças!

Gostou desse artigo? Deixe seus comentários!

 

 

Gostou!? Compartilhe com seus amigos....Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
  • Fernando Cunha

    Bom dia
    Gostei do artigo “Aprendendo a melhorar a gestão de pessoas com um filme” nele o autor chama a atenção para aquele gestor que tem um perfil autoritário e que concentra todas as decisões só para si.
    Esta não é a atitude correta e lendo o artigo percebemos a importância de compartilharmos as decisões, como o filme apresenta.
    Grato
    Fernando Cunha

  • Rafael Liberato

    Olá Fernando, muito obrigado pelo seu comentário.
    Com certeza ainda encontramos muitos líderes autoritários que acreditam serem os únicos donos da razão. Mas com as novas gerações de trabalhadores, estes “chefes” tendem a perder cada vez mais espaço nas empresas.
    Um abraço;

  • Roberto Machado

    Boa analogia! Esta e outras analogias são ótimas para se entender e mesmo para se difundir conceitos inerentes a outros meios, que não sejam o do filme neste caso.
    Muito bom o artigo, parabéns!